Introdução

A colonização inglesa e holandesa marcaram de forma definitiva a Guiana, deixando atras uma decadente capital colonial, uma atrativa mistura de pessoas e uma geografia política curiosa. Contudo, as atrações naturais do país são impressionantes, intocáveis e existem em boa escala. Guiana tem cachoeiras gigantescas, grandes selvas tropicais e muita vida selvagem ao longo de suas paisagens. Se o governo não destrói o meio-ambiente como meio de pagar sua enorme divida externa, Guiana pode torna-se uma das capitais eco-turísticas do futuro. Hoje em dia, é o local ideal para viajantes independentes, duros e com um certo estilo de Indiana Jones que não ligam para o fato de estar visitando um país desconhecido para muitos.

Alguns Dados Principais

Nome completo: República Co-operativa de Guiana

Área: 215.000 km² População: 825.000 habitantes

Capital: Georgetown ( população 200.000 )

Povo: 51% de Indígenas do leste, 43% Afro-guianeses, 4% Amerindian, 2% Europeus & Chines

Idioma: Inglês (a maioria dos guianeses fala um inglês crioulo) também Hindi e Urdu

Religião: 57% Cristã, 33% Hindu, 9% Musulmano

Governo: Democracia

Presidente: Janet Jagan

Geografia

Com um tamanho parecido ao da Inglaterra, Guiana limita ao oeste com a Venezuela, com o Suriname ao leste e com o Brasil ao sul. As suas costas nortes recebem as aguas do oceano Atlántico. Uma densa selva cobre a maior parte do interior, apesar de que o sudoeste da Guiana apresenta extensas pasturas. Aproximadamente 90% da população vive nas férteis terras perto da costa atlántica do país. Guiana tem uma vida selvagem espectacular que inclui macacos, tapirs, jacarés e uma enorme variedade de peixes que pode ser encontrada nos seus rios. O clima equatorial traz temperaturas elevadas, que podem ser suportadas graças a constante vento do mar nas costas. Existem dois temporadas de chuvas: de Maio a Agosto e de Novembro a Janeiro.

História

Os habitantes originais da Guiana eram índios caribenhos que tinham levado os índios Arawak para o norte e as antilhas. Os assentamento de europeus começou em 1615, quando a companhia holandesa do oeste da India construi um forte na parte sul do rio Essequibo. Os holandeses trocavam pessoas do interior junto aos Indianos, e estabeleceram plantações junto ao rio. Estas plantações eram trabalhadas por escravos africanos e desta maneira o açucar tornou-se rapidamente o produto dominante. Enquanto as costas permaneciam sobre a influencia do dominio holandés, os ingleses se se esforçavam para estabelecer plantações de tabaco e açucar ao oeste do rio Suriname. O conflito entre os países fez com que algumas áreas da região trocasse de mãos várias veces, mais até 1796 a Inglaterra tinha se tornado a potencia dominante. Em 1834, a abolição da escravidão fez com que muitas plantações deixassem de existir sendo que as restantes procuravam uma nova força de trabalho. Os ingleses resolveram o problema trazendo trabalhadores pobres da India. Desde 1846-1917, mais de 250.000 trabalhadores entraram ao país, transformando radicalmente a demografia do país e montando as bases para os futuros conflitos etnicos e sociais. A Guiana obteve a sua independência em 1966 e quatro anos mais tarde tornou-se uma republica co-operativa. A indústria do açucar foi nationalizada e a base econômica do país foi diversificada com a produção de arroz e bauxita. No entanto, a economia do país esteve em constante recessão por muito tempo, o que levou uma grande parte de sua classe educada a deixar o país. A sua economia doméstica também foi enfraquecida com as disputas territoriais com os vizinhos Venezuela e Suriname. Em 1992 as eleições levaram o americano Cheddi Jagan à presidência, que por um tempo intentou estabelecer algumas políticas marxistas no país, mas eventualmente teve que consultar o FMI para conseguir ajuda. A mulher do ex-presidente, Janet, tornou-se presidente em 1997, apesar de muitos protestos.

Perfil Econômico

PIB: US$ 1,4 Bilhões

PIB per capita: US$ 1.950

Inflação:15,5%

Indústrias Principais: Camarão, produtos forestais, bauxita, arroz, açúcar

Principais parceiros econômicos: USA, França, Canada, Japão e Inglaterra

Cultura

As artes visuais, principalmente a pintura e escultura estão muito desenvolvidas e podem ser apreciadas em exibições especiais na capital. O sucesso international tem consagrado o poeta e escritor de novelas E. R. Braithwaite o actor de origem inglesa Norman Beaton. O cricket e o futebol são os esportes mais praticados pela população local. A comida da Guiana é bem característica e normalmente composta de frutos do mar bem temperados e levemente picantes na maioria dos casos. Também existem pratos indianos como os curries e o roti. A comida chinesa também é comum. Bebidas incluem cerveja, rum local, whisky e maravilhosos cóckteis de frutas.

Eventos

As celebrações nationais para comemorar o dia da república ( Fevereiro) perduram uma semana e são o evento cultural mais significante do ano. Festivais hindus e musulmanos também são celebrados e estes incluem o Phagwah (começo de março) e o Divali (novembro).

Dicas para o Viajante

Os visitantes de a maioria dos países, com exeção de parceiros econômicos do caribe, precisam de um visto para ingresar ao país.

Dinheiro e Custos

Moeda: Dólar Guianes (G$)

Quarto Básico: US$ 5-15

Hotel Moderado: US$ 15-30

Hotel de primeira: US$ 30 ou mais

Refeição básica: US$ 3-5

Restaurante moderado: US$ 5-10

Restaurante de primeira: US$ 10 ou mais

Os viajantes econômicos podem gastar alredor de US$ 10 na Guiana, enquanto aqueles que ficam em hotéis mais comfortáveis e comem em melhores restaurantes devem gastar de US$ 20 - 30 por dia. Uma visita com muito comforto deve custar em torno de US$ 45 ou mais por dia. Dólares podem ser trocados em bancos e casas de câmbio. Os bancos são mais burocráticos e normalmente abrem só pela manha, mas as casas de câmbio adotam um horário mais flexível. As vezes pode-se trocar dinheiro em locáis como hotéis, e a taxa é a mesma qua a praticada pelos bancos. Cartões de crédito são aceitos nos bons hotéis e restaurantes de Georgetown.

Quando Ir

O melhores momentos para visitar a Guiana são no fim das duas temporadas de chuvas, no final de Janeiro ou final de Agosto. Alguns nativos recomendam ir de Maio a Outubro, época em que pode chover mais, mas não faz tanto calor. Se você quizer viajar por terra ao interior, venha durante a temporada de seca.

Chegando lá e saíndo de lá

A maioria dos viajantes chegam da América do Norte ou Caribe, e as vezes da Venezuela, passando por Trinidade e Suriname. Não existem vôos diretos da Europa. A taxa para vôos internacionais é de US$ 8. Podem se atravessar por terra pelo Brasil de Lethem para Bomfin, mas a fronteira com a Venezuela encontra-se fechada.

 

Fonte: Lonely Planet

 

Voltar a "PAÍSES"


© 1999 Equipe GIRO 2000 - Todos os direitos reservados